Marisa Marques

Lipoaspiração

Lipoaspiração é a aspiração cirúrgica de gordura localizada no plano subcutâneo, deixando um contorno corporal mais desejável e uma transição suave entre as áreas aspiradas e as áreas não aspiradas.
 
Indicações
A selecção dos pacientes é um determinante crítico para um bom resultado estético, principalmente na cirurgia de contorno corporal. Nem todos os pacientes que solicitam a lipoaspiração são bons candidatos.
A consulta começa com uma avaliação dos objectivos do paciente:
1) O que o paciente deseja mudar no seu corpo?
2) O que o paciente espera conseguir com a lipoaspiração?
 
O cirurgião fornece, então, ao paciente uma avaliação realista do que pode ou não ser obtido com a lipoaspiração. Alguns pacientes podem necessitar de procedimentos alternativos (tais como uma abdominoplastia) ou lipoaspiração combinada com um procedimento cirúrgico aberto.
 
Maus candidatos para lipoaspiração:
(a) Perfeccionistas com deformidades imperceptíveis.
(b) Pacientes severamente deprimidos e/ou com distúrbios alimentares.
(c) Pacientes com peso significativamente acima do normal que são incapazes de reduzir o peso antes da cirurgia.
(d) Pacientes com pele fina, flácida ou com estrias (indicando quebra dérmica).
A lipoaspiração não deve ser oferecida para tratamento da obesidade.
As protuberâncias anormalmente distribuídas de gordura ou a gordura que é distribuída fora dos limites da forma corporal ideal são as áreas alvo de lipoaspiração.
 
Áreas do corpo a tratar com lipoaspiração
São numerosas as áreas do corpo passíveis de lipoaspiração. Hoje em dia, os pacientes podem ser tratados da cabeça aos pés. A face e o pescoço podem ser tratados com sucesso com lipoaspiração, apesar de a injecção de gordura, em vez de aspiração, ser mais popular. O tronco, incluindo o abdómen, dorso, mama (ginecomastia) e região posterior dos quadris (flancos), e os membros inferiores, incluindo os coxas, joelhos, pernas, e tornozelos, têm sido tratados com sucesso com a lipoaspiração. A lipoaspiração também é adequada para o tratamento dos braços quando a pele não é muito flácida. As nádegas podem ser tratados com sucesso, mas devem ser abordadas com algum grau de cautela. A criação de nádegas planas ou ptóticas (caídas) poderá criar um resultado estético insatisfatório, e, geralmente, requer cirurgia excisional (remoção de pele) para a sua correcção.
A região púbica, quando preeminente, também pode ser tratada com lipoaspiração, tanto em doentes do sexo feminino como em doentes do sexo masculino.
 
Complicações
Qualquer procedimento cirúrgico tem riscos. As complicações graves associadas a procedimentos de lipoaspiração são raras.
A complicação mais comum após a lipoaspiração é a irregularidade de contorno. As  irregularidades de contorno geralmente enquadram-se numa de quatro categorias: (a) hipercorreção, (b) hipocorreção, (c) falta de retracção da pele, e (d) deformidades complexas consistindo em combinações de a, b, e c.
Os procedimentos de revisão apenas deverão ser realizados após o desaparecimento completo do edema.
Outras complicações muito raras são: hemorragia activa, descoloração da pele permanente, hematoma (acumulação de sangue) de grande volume, seroma (acumulação de líquido seroso), infecção, embolia gorda, tromboembolismo, desequilíbrio hidroelectrolítico, toxicidade à lidocaína, necrose (perda) de pele, perfuração de vísceras e morte.


Não deixe de consultar os links Contextualização e Consciencialização