Marisa Marques

Blefaroplastia

(cirurgia em ambulatório)

A blefaroplastia (cirurgia nas pálpebras) está indicada para a correcção de deformidades das pálpebras, nomeadamente as resultantes do envelhecimento facial, caracterizado pela perda de elasticidade da pele, ptose (queda) e aparecimento de bolsas de gordura peri-orbitárias (papos à volta dos olhos). Dependendo dos casos, o paciente pode ter indicação para blefaroplastia da pálpebra superior, inferior ou ambas, e a cirurgia pode ser integrada na cirurgia de rejuvenescimento cervico-facial.
 
Na correcção da pálpebra superior, as metas incluem a preservação do contorno orbitário superior e a redefinição da crista palpebral superior. Na pálpebra inferior, as metas incluem a criação de uma transição suave entre a “bochecha” e a pálpebra. Estas metas podem exigir a ancoragem do canto do olho, a preservação ou reposicionamento da gordura peri-orbitária e a manipulação da região malar (bochecha). Em adolescentes ou adultos jovens, habitualmente, opta-se por abordagens menos invasivas.
 
Cuidados Pós-Operatórios
 
Ambulatório
O procedimento cirúrgico é realizado sob sedação e o paciente tem alta após quatro a seis horas de recobro.
 
Consultas
Consultas no pós-operatório imediato (até cicatrização completa/remoção dos pontos) e tardio.
 
Cuidados no pós-operatório imediato
Durante os primeiros dois dias, o paciente é instruído a manter a cabeça elevada e a aplicar gelo (dentro de um saco e posteriormente envolvido por um pano) na região peri-orbitária (à volta dos olhos).
Deverá aplicar uma pomada oftálmica nas feridas cirúrgicas e no globo ocular.
É medicado com antibiótico, anti-inflamatório e/ou analgésico.
O paciente deverá evitar o uso de maquilhagem nesta localização ou lentes de contacto, por um período de duas semanas, e deve utilizar óculos de sol.
Deve usar meias elásticas, de compressão média, até ao joelho, durante o dia, duas semanas.
Nas primeiras duas semanas a seguir à cirurgia, não deve andar de avião.
 
Cuidados no pós-operatório tardio
Quando as cicatrizes estiverem completamente cicatrizadas deverá:
- De manhã (durante um ano): colocar nas cicatrizes um protector solar 50+ mineral e usar óculos de sol; durante um ano não poderá apanhar sol directo nas cicatrizes.
- À noite (durante seis meses): deverá colocar nas cicatrizes um gel de silicone.
 
Regresso ao trabalho e actividade desportiva
Poderá regressar ao trabalho uma semana após a cirurgia e fazer desporto três semanas depois.
 
Complicações
Estão descritas na literatura as seguintes complicações, sendo raras as mais graves: córnea exposta ou seca, hematoma (acumulação de sangue), hemorragia retro-bulbar (sangramento atas do lho), penetração inadvertida do globo ocular, mau posicionamento das pálpebras, cicatriz hipertrófica, aderências, disfunção do sistema lacrimal, ectrópio (pálpebra virada para fora), ressecção excessiva de gordura, assimetrias na fissura palpebral, alopecia de cílios (perda de pestanas), chalázio (treçolho enquistado), hiperpigmentação cutânea (mancha castanha), perda visual (0,04%), diplopia (visão dupla), ptose palpebral (queda da pálpebra).


Não deixe de consultar os links Contextualização e Consciencialização